sexta-feira, 30 de maio de 2008

A irmã de Ana Bolena (The other Boleyn Girl)

Um romance que retrata a vida de Ana Bolena e a corte dos Tudor do ponto de vista da doce irmã de Ana, a esquecida Maria Bolena.
Maria frequentava a corte dos Tudor desde os treze anos, quando havia se casado com Sir William Carrey. Após a chegada da sua irmã, o rei Henrique VIII passou a se interessar por Maria. Logo os membros da família Bolena, conhecidos de longa data por serem oportunistas capazes de tudo para ascenderem politicamente e entregarem suas jovens como se fossem mercadorias a serem negociadas, se mobilizaram pra traçar um plano que levaria Maria à cama do rei em troca de títulos e propriedades. Maria se apaixona pelo rei e este por ela. Ela teve dois filhos dele, uma menina e um menino. A rainha nada podia fazer a não ser sofrer enquanto seu marido se divertia. Mas durante o resguardo da segunda gravidez, o rei volta sua atenção para a Ana e deixa Maria de lado, ao mesmo tempo que Maria também só pensa em seus filhos e esquece Henrique. A família novamente se reune para planejar a negociação, porém Ana não quer ser apenas mas uma das amantes do rei. Ela deseja se tornar a nova rainha da Inglaterra e para isso está disposta a passar por cima de qualquer um que se interpuser em seu caminho, até mesmo os membros de sua família. Seu lema era "doa a quem doer". Seu temperamento explosivo e sua graciosidade inigualável logo conquistaram o rei e a corte. Com a condição de se casar virgem e com seu poder de persuasão, ela ascende tornando-se Marquesa de Pembroke, afasta a rainha do trono dando início a um processo que resultou na criação da Igreja Anglicana, elimina seus inimigos, conspira com o rei e o convence de seu poder absoluto guiado e abençoado por Deus, transformando-o no rei ícone do absolutismo na Inglaterra.
O rei é excomungado, a rainha é expulsa do trono e Ana é coroada rainha consorte. Mas ela não tem o apoio do povo, que a ofendia por onde quer que ela fosse, chegando a ocorrer em Londres a manifestação de 8 mil mulheres a favor de Catarina de Aragão. Ana não só rompeu coma Igreja, mas revolucionaou a instituição do casamento em si. Se a própria rainha podia ser descartada e humilhada, então nenhuma esposa estava segura de sua posição.
Após o nascimento de uma filha e vários filhos abortados, o mesmo poder que Ana fez o Rei acreditar que possuía, o fez condená-la por traição, adultério, feitiçaria e incesto. Junto com ela foram executados seu irmão George Bolena e cinco amigos próximos do rei, acusados de serem seus amantes.
Mesmo sabendo o desfecho da história, o livro conseguiu me chocar. É espantoso como um homem outrora tão justo, se transformou num monstro quando alcançou poder ilimitado. E como essa mulher, com seus sortilégios e gênio difícil, conseguiu manipular um rei a ponto de persuadi-lo a romper com nada mais nada menos que a Senhora Igreja Católica. E mesmo assim não encontrou felicidade na vida. Quando era jovem, foi obrigada a se separar de seu único amor, Henry Percy. Teve uma vida repleta de falsidade, onde cada gesto seu seu era cuidadosamente premeditado com o intuito de impressionar a todos. Em 1000 dias passou de rainha da Inglaterra a prisioneira na torre de Londres, decapitada como um traidor vil. Tudo indica que Ana nunca cometeu adultério, já feitiçaria...
Maria se casou por amor com um fazendeiro e viveu uma vida tranquila no campo com seus filhos.





Em breve, um post sobre o filme "A Outra" inspirado nesse romance. Com Scarlet Johanson como Maria, Natalie Portman como Ana Bolena e Eric Bana como Henrique VIII.

2 comentários:

João Wesley disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
mariah disse...

ai q lhegall.. fiquei com vontade de ver tds os filmes hauhau :**